25 mar. 11

BUCETA - Um estudo histórico e antropológico.

Olá, queridos leitores.

É sexta-feira, eu estou de folga, e se você tem um mínimo de amor-próprio, hoje você está planejando o que fará no fim de semana, e invariavelmente tudo convergirá em sexo. Nem se for para bater uminha. Não lhe julgo, eu sou assim também.
Inspirado
pela matéria da Vice sobre como chupar uma buceta, venho aqui nesse distinto lugar escondido nas entranhas da internet para DISCORRER sobre a alegria nacional: A BUCETA.

Haverão outros posts onde falarei de CU também, a AREA 51 do sexo, e porque não, falarei de CARALHOS. Ah, se sentiu desconfortável? Ihhh, o Smile é manja-rola, EIN? Então me responde, hipócrita: Quando você tá vendo pornô, você tapa com a mão as rolas que aparecem? Não, né? Aposto que tua mão tá é bem ocupada. Então você já viu muita rola por aí igual eu, neófitozinho macho man de Twitter.

Mas não vamos aqui criar POLEMIKS. Hoje é sexta e tá sol aqui na cracolândia, dia de ser feliz, e eu estou tomando uma MARIA-MOLE. Sem brigas, eu sei que você me ama.

A BUCETA - BUCEFALUS EST

Uns chamam de órgão genital feminino ou vagina (gente acadêmica que, na sua maioria, não come ninguém), outros chamam de perereca (cinema nacional), outros chamam de XOXOTA, que eu acho fofinho mas me dá a impressão do barulho de esfregar roupa no tanque. Outros tendem a chamar de RACHA, o que eu considero ok por ser um termo essencialmente não-coxinha. No Rio, rola o famigerado termo PREXECA, que simpatizo, mas acho pouco agregador. O que eu não admito é chamar de PERIQUITA. Além de ser um cunho vagabundo, há questionamentos acerca: É verde? Tem pena? Tem bico? Então porque CARALHOS é periquita? Se você chega para aquela gatinha na balads e manda “adoraria comer sua periquita hoje”, você está convidado a morrer uma morte lenta e dolorosa. E claro, a fechar essa aba e sumir da minha vida.

Mas o ponto aqui não são terminologias. Você não precisa disso na hora do pega pra capar (ou traçar). Quando você estiver de cara com ela, não tem necessidade de referir-se a elas. Basta saber que terreno você está pisando. E aqui, eu, com cerca de 15 anos de experiência (não vastíssima, não sou um Paulo Freire da educação sexual, mas dá pro gasto), vou aqui fazer um TRATADO sobre a última fase do jogo chamado MULHER.

Não há certo ou errado aqui. Gosto é gosto e opinião é igual bunda: Como a sua facinho. Vamos lá:

TIPOS DE BUCETAS, SEUS PRÓS E CONTRAS (e uma trilha sonora adequada a elas):

1. O HAMBURGUINHO.

Ela é gordinha, suculenta e invariavelmente molhada. Os lábios maiores e menores dançam uma dança perigosa, se fechando num acúmulo de carne de primeira, dando aquela impressão gostosa de edredon na cama em dia de inverno, sabe, emboladinho? Se olhada na horizontal, lembraria um senhor negro de lábios avantajados, ou uma Angelina Jolie com buço, caso a sua bucete
© tenha pelinhos (trataremos do tema “pêlos” mais adiante). Sua carne extra funciona como uma armadura, que a protege das maldades do mundo externo. Suas donas normalmente se amam, pois sabe que mesmo não mostrando assim pra todo mundo toda hora (é, algumas mostram, and I salute you!), sabem que o felizardo que der de cara com esse Master of Puppets da buceta moderna, vai se apaixonar e vai dar a casa, o carro, a glock e uma FAL, e subirá cego de joelho mil e cem degrau para tê-la assim que entra em contato.

Mas nem tudo são alegrias para as HAMBURGUINHAS não. É uma buceta complexa, que requer manutenção, pois é o sinônimo da fartura bucetal. Imagina você cuidar sozinho de um campo de futebol? Pois é, as HAMBURGUINHAS o fazem.

Apesar da característica fofinha da mesma, nem sempre as donas são fofinhas uniformemente. Não raro você verá magrinhas trazendo em suas virilhas um bucetão desproporcional. O que torna o jogo da sedução mais parecido com o poker, pois você nunca saberá o que a parceira tem pra você. Pode ser um flush, mas pode ser um 2 e 7 de naipes diferentes, uma pepeca
© mal cuidada e cheia de POLENGO.

E não há nada mais legal e self-esteem raiser que chegar naquela roda de amigos e se gabar “rapeize, comi um BUCETÃO hoje, que pelamor. Vou ter que declarar no Imposto de Renda e tudo”.

PRÓS: É um bucetão, amigo(a)! Quer merreca? Vai fazer humanas.
CONTRAS: Manutenção. “Mas ah, Smilows, isso não é problema meu, sou homem, puerra!”. Tá bom, deixa a dona do parquinho fechar as atividades justo quando você tiver com a bexiga e o pirulito na mão, cantando o tema do DOMINGO NO PARQUE, assim você aprende que BUCETA É COISA SÉRIA e para de ser egoísta.
TRILHA SONORA: Como dito, é o MASTER OF PUPPETS das bucetas. Master! Master!

2. O HAMBURGÃOZÃO.

Essa é a mais equilibrada. Suas donas são invariavelmente gordinhas. E como o nome sugere, é o Whopper das bucetas (amigos vegans, mandem seus lanches similares, não consegui lembrar de nenhum). Equilibrada no fato de ter seus defensores e detratores, e é puramente uma questão de ponto de vista bucetístico. Vamos analisar juntos?

Fato 1: Gordinhas gozam mais. Você que acredita que a gordinhazinha do rolet vive sem passar a buceta no FALO PULSANTE?
©©. Que ledo engano, meu camaradinha (aqui não vou por “minha camaradinha” porque só homem acha que mulher gorda não goza ou não transa). Gordinhas gozam MUITO. Ok, não são rainhas de bateria e padrão de beleza televisivo, mas aprenda: Para toda Geisy Arruda tem sua revista Sexy. Toda panela vem com tampa. Gordinhas são preferência nacional também, meu cumpádi. Larga a mão de ser prego. Você tá no Brasil, só não trepa quem não quer.

Fato 2: A nossa pele é delicada. Isso não sou eu ou você que definimos, é assim porque é. Pele de coxa, virinha então, nem se fale.

Fato 3: Mobilidade. Infelizmente quem tem uma barriguinha ou barrigão, não tem a mesmo contorcionismo circense que uma magrinha. E com a idade, isso só fica pior.

Ok, temos os fatos na mesa. As HAMBURGOESZONAS são felizes para caralho, e vão te fazer felizes, homens e mulheres que gostam de uma carne nobre de mulher. Vão e vão MESMO. Elas trepam com alegria, elas verdadeiramente JORRAM gozo em você. Um chafariz de prazer. Elas se divertem, dentro e fora das quatro paredes. Carne pra dar e vender. Quem passa tempo na academia se fudendo, ou indo no analista porque comeu 3 Bis são elas, as magrinhas. As gordinhas, assim como o D2, tiram é onda.
Mas, MAS, é uma buceta que acontece de nem sempre estar em seu melhor estado. Ou a pele em volta está mais irritada, ou está judiadinha, precisando de um talento, dentro dos lábios. Por conta disso, as HAMBURGOESZONAS são as que mais gastam grana nos ginecologistas da vida. Então, além da manutenção, é a que corre mais risco de oferecer uma visão triste, dada a falta de mobilidade das donas em fazer aquela depilação marota e cuidar direitinho depois, ou em casos mais EWWW, passar o sabonete aonde deve, bem totosinho. Pô, fofosa, se cuida!
Mas antes que você magrela comece a regozijar por ser feliz, toma esse toco, sua mal-amada: Clitóris, clitóris, clitóris. Sino do amor. Badalinho. Com as HAMBURGOESZONAS, amigo, bateu e é gol. E é gol de título. Gozo iminente. Ali, tem tanta carninha sensível que dá pra fazer a ilha de Malta inteira gozar numa só bombada. O que nós, homens que não são taxistas que votam no Maluf e sentem saudades do Médici, queremos: Que a mulher goze gostoso no nosso pau. Falei.

PRÓS: Gozo, gritos, arranhões, juras de amor. Bateu, gozou.
CONTRAS: Manutenção, sensibilidade ao redor, falta de “fazer a jardinagem”.
TRILHA SONORA: Extreme Noise Terror. São deuses, pra quem gosta do gênero. Pra quem não gosta, é muito extremo.

3. PORTA DE SALOON

Sabe como é PORTA DE SALOON, né, meu querido(a)? Se não sabe, é aquela porta dupla que você empurra e ela tem uma dobradiça com mola ou algo do gênero que dá aquela mobilidade de ir, e voltar. Ir e voltar. Não vou me prolongar mais, vai ver o Chapolin, tem naquele episódio do Quase Nada, Tripa Seca, Rosa Arrumorosa, etc et al. Tem lá.
Enfim, e as donas dessa buceta tem essa característica: São LABIUDAS, tem lábios para dar e vender. Não é uma carne gordinha, é aquela pele mais flexível, que é igual chiclete, você põe na boca, e puxa, e estica, e faz bolinha, e depois volta para a posição inicial. Elas honram o termo GRANDES LÁBIOS. Se você não é cabaço e adora molhar o bigodinho na XAVASCA (outro termo rico e digno), é a buceta mais legal. Você se sente brincando de PINOS MAGICOS na escolinha. São horas ali, fazendo e desfazendo, puxa pra cá, mordisca (mordiscar é diferente de morder, hein? Não vá machucar a cabrocha), e faz aquele carnaval. E amizade, mulher adora ser chupadinha. Você, homem, saiba que uma pesquisa feita pelo Instituto Smile, mostra que 89,76% das mulheres, largam o camarada se ele chupa pouco a pepequinha dela. Saca, cumprir tabela? Ganha aquele boquetão caramelado na rola, e na hora do retribution, dá três lambidas de cachorro são-bernardo e acha que é o ROCCO SIFREDI. Não pode, não deve, e a PORTA DE SALOON tem material humano pra você cair de boca e brincar de ser feliz.
Na penetração, já complica um totinho: Pelo fato de ter muita pele, a fricção do seu caralhinho voador na prexeca dela aplica-se o EFEITO SALOON: É pele que vai, pele que vem, e essa pele não é a necessariamente a região mais sensível da buceta. O que o homem deve cumprir na penetração é o: Preenchimento, e a posição, pra sempre reverenciar a buceta como um todo, do leme ao pontal. Do grelo ao zipper. Então, muita pele nem sempre é sinônimo de muita diversão. A não ser que você seja um CARALHUDÃO e coloque um caminhão numa vaga de shopping sem problemas. Como somente 0,000001% dos brasileiros são de fato monster truck, e cerca de 99,8% DIZEM que são, que tal aceitar o conselho do amigo Smile e calar a boca um pouco?
E pra complicar, a SALOON envelhece mal. Fica com cara de socialite falida. O que era educadamente referido como pele, vira a famigerada PELANCA. Então, para você, que curte um lábio maloqueiro, certifique-se que a sua Lady Laura tenha $$$$ para fazer aquela recauchutagem quando chegar a hora. Até lá, boa diversão!

PRÓS: Um convite ao sexo oral. Entretenimento para as famílias brasileiras.
CONTRAS: Envelhece mal, excesso de carnes não nobres.
TRILHA SONORA: Beastie Boys – Fight For Your Right to Party


4. CAPA DE SALMÃO

Você já deve ter se deparado (se não, que pena…), com essa situação: A gostosuda tira a roupa, se joga na cama, abre as pernas e fala: VEM. E você olha pra bucete e ela está lá, cantando e batendo palma em falsete, “vem, vem, vem…”. Buceta tá ABERTA esperando sua atitude. Você conheceu a mulher, pela buceta rica em biodiversidade que ela lhe oferece, depois de ter caido no seu papo furado que é uma pessoa sensível, que busca a cara-metade, etc. O interior está lá, diante de seus olhos, sem “abrir as cortinas”. Essa é a nossa querida BUCETA CAPA DE SALMÃO.
Anatomicamente falando, ela é uma buceta com os labios grandes pequenos, e os lábios pequenos grandes. Complexo? Nem tanto na prática. Buceta excelente para iniciantes e estagiários nesse jogo chamado BUCETA. Alguns cretinos cagam termos como “ah, mina lá, mó arregaçada, mêo”. Então me explica, cretino, como que a Tawnee Stone, a popular NOVINHA, era o que era? Sai da minha frente, vai jogar videogame, seu filho da puta!
Não são arregaçadas, gastas, ou whatever. Só é uma das muitas variações.
Essas por sua vez, tendem a jogar no jogo das magrinhas, mas rola gordinha aqui e ali com o seu salmãozinho também. Aliás, o termo deriva pelos lábios menores serem mais salientes, e como são mais próximos da intimidade, são rosáceos, como o salmão, não importando a etnia da cocota. Aceita-se também o termo BUCETA DE SONHO DE PADOCA para as mesmas, pois é aquele risquinho delicioso, com o pãozinho do amor em volta.
Por terem uma pepecazinha mais exposta, costumam dar certa manutenção, mas nada que seja um HAMBURGÃOZÃO. Pra gozar é uma maravilha, pois tá tudo bem na sua cara, amigo(a). Só saber jogar o jogo certo.

PRÓS: Boa para beginners. Praticamente um mapa de buceta. Dá pra ir sem GPS.
CONTRAS: Poucos, exceto a exposição, que pode causar mais manutenção.
TRILHA SONORA: Hatebreed - Straight to your Face


5. BUCETA BECEL

Todo mundo gosta de uma buceta bem cuidada? Gosta. E tem que ser anatomicamente bem acertada? Tem. E quando é tudo isso, mas, MAS, tem seus defeitos? Existe sim, não grita aí no escritório não, seu gerente te ouve dando chilique e pra se explicar é um custo. Existe, sim, amigo(a) e é a BUCETA BECEL.
Essa pepeca é uma fofura. Parece feita de BISCUI. Excelente pra ganhar aquela vaga de emprego como “atriz e modelo”. Tudo harmonicamente correto, certo, alinhado, estudado, milimetricamente planejado por GEZUS.
Mas você botaria caviar todo dia pra comer? Não, né. Não supriria suas necessidades. E é o caso da BECEL. Ela é tão certinha, que falta aquele TCHAMS pra engatar. Não dá a diversão que uma SALOON oferece, não esclarece como a CAPA DE SALMÃO, não é bateu-gozou como a HAMBURGÃOZÃO, e nem é o popular BUCETÃO que a HAMBURGUINHO é. Ou seja, o material humano extra-bucetal TEM que ser jóia. Se for aquela feinha quebra-galho, vira ponto positivo “porra, a mina é feia mas tem uma bucetinha bacana e olha, roda na rola tipo PIROCÓPTERO, trepa com fome de vitória”. Se for normal, fica aquele arroz-com-feijão: “Ah, comi, meu time tá fora das finais do Brasileiro mesmo…”. E se for gata, vira demérito “porra, mina mó gata, corpo escultural (note aqui que a buceta não é mencionada), mas é meio frígida. E nem foi minha culpa, hein? Sô maior COMELÃO”.

Então a BUCETA BECEL é uma buceta que assim, não marca histórias sozinha. Precisa de talento extra, ela é tão normal como o dedo ou o cotovelo de alguém. Bonita? É. Mas não vale registros. Tanto que você pode notar, que não falamos de lábios, clitóris, nada.

E vem cá, você se lembra daquela vez que comeu FIBRAS com SUCO DE CLOROFILA, ou lembra daquele BANQUETE cheio de guloseimas? Se citou FIBRAS, bom, pra começo de conversa, nem de buceta você gosta. E outra, quem gosta de OMEGA 3 é nutricionista. Eu quero é um bucetão carnudo, truta! Muito SUMO de mulher, muito. Deixa meu bigodinho molhado, sua CREMOSA!

PRÓS: Beleza. Boa para fotos, calendários, estudos acadêmicos, e etc.
CONTRAS: Pode não acrescentar lembranças em sua vida.
TRILHA SONORA: Qualquer música do Nenhum de Nós.

6. BUCETA PLAF PLOF

Para fechar o nosso tema de hoje, aí vai a PLAF PLOF. Como o próprio nome cagueta, é PLAF PLOF pra cá, é PLAF PLOF pra lá na hora das bombada malucas da reta de chegada. Ela seria, em tese, uma buceta HAMBURGÃOZÃO que emagreceu, embora eu ainda não tenha tido experiências na cama com mulheres que perderam muito peso pra saber. Mas há delas, mesmo sem essa experiência traumática de pós-redução de peso.
Há algo nelas que me intriga severamente: Como pode uma mulher de corpo durinho e nos conformes, ter uma buceta assim, tão flácida? A natureza não é tão lógica assim.
Mas, ao contrário do que se imagina, ela proporciona prazer e muito! Ela é uma buceta pau-pra-toda-obra, perdoem-me a referência óbvia. De lado, por cima, por baixo, de ponta-cabeça, ela aguenta situações e posições adversas de todo o tipo. Devido a seu acúmulo de pele, lábios, pelancas e etc, ela SUGA seu caralho para dentro dela, convida pra sentar, tomar um drink, ouvir Charles Mingus. É uma buceta convidativa. Buceta amiga de gente feliz que compra no Carrefour.
Maioria das magrinhas possuem bucetas assim, o que pode gerar problemas para a mesma, pois como dito antes, gordinhas gozam mais que magrinhas. Mas tem gordinhas e gordonas que possuem a PLAF PLOF como sua arma de conquista.
O bom da PLAF PLOF, além de ser uma bucetinha camarada, é que como ela na maioria das vezes vem com uma magrinha a tira-colo, é mais fácil fazer do sexo uma aula de ginástica e elasticidade. Se seu pipi permitir, dá pra aprontar muitas e muitas posições com a PLAF PLOF. É uma buceta magnetizada e nós não devemos desprezá-las.

Mas, nem tudo são flores com a PLAF PLOF. Nós, homens, também achamos algumas bucetas feias. Não tem jeito, por mais que não assumamos. Se achamos bonita umas, logo, há a referência comparativa em outras. E a PLAF PLOF é a prima pobre em matéria de beleza aqui. Portanto, você, princesa do interweb, se você acha que a sua pepeca é PLAF PLOF, um conselho do amigo Smilo: Saiba seduzir com outros meios. No MSN, nada de sair abrindo as pernocas pra rapaziada. Sua buceta é especial, não no sentido da beleza, mas no sentido da versatilidade. E outra: Seja mente aberta para muitas e muitas e MUITAS posições, sua bucete permite. Quem sabe, um Yôga, um Tântrico…

PRÓS:
Versatilidade, convidativa a qualquer tipo de coito.
CONTRAS: Parece uma alface crespa.
TRILHA SONORA: SLAYER. São feios mas sabem o que fazem.

Para todos os estilos acima, vale frisar: Se elas são fundas, largas, apertadas, enfim, não importa. Isso é relativo. Pra entrar numa festa de graça, você precisa agradar o porteiro (no nosso caso, o nosso amigo CLIT), então o externo conta e muito!

E sobre a DEPILAÇÃO, aí caímos no âmbito pessoal. Tem quem goste de pêlos, mas eu não. Mas digamos que pode ajudar, no caso de sua pepeca não ser um primor de beleza. Eu sou a favor das RASPADINHAS, e aqui, faço um ode a elas com o engraçado ZÉU BRITTO, no fim do post de hoje.

Para finalizar, um beijo em suas bucetes, com todo o respeito do mundo. Vocês mulheres podem dominar o mundo com elas. E você, amigo leitor, trate a bucetinha com carinho! É a melhor coisa que a mulher pode te dar. Tem mais coisas… mas nada são mais ENIGMÁTICAS e exclusivas.

Abraço a todos!

© - Copyright by me. Se me copiar, dê-me um abraço.
©© - Copyright by Alessandro Soares, um grande amigo, e assim como eu, apreciador de BUCETUDAS.

Ó o video aí:




 

Compartilha aí se gostou.
Se não gostou, compartilha só pra falar mal.



blog comments powered by Disqus